Browsing Category

Gestão

Blog 13 de dezmebo 2png

A importância do atendimento ao cliente.

As lojas de veículos precisam entender que o relacionamento é a única moeda de troca nos negócios.

Aquela frase de transformar passantes em entrantes, entrantes em compradores e fidelizar, tão famosa no varejo, só pode ser concluída com atendimento e relacionamento com o cliente. Mas, todos os dias, muitas lojas se esquecem disso, e só lembram do relacionamento depois da venda. Muito se fala sobre a importância do relacionamento no pós-venda, mas muita gente se esquece o que é o relacionamento com o cliente: ele é o elemento mais importante na prospecção. Não apenas na prospecção, mas na qualificação, na negociação, no fechamento e, assim por diante… Se você deseja saber tudo sobre atendimento ao cliente e a importância do relacionamento da loja com o cliente, acompanha nossa postagem de hoje. Afinal, o relacionamento precisa evoluir conforme as relações entre a loja e o cliente (e existem diversos tipos de cliente, confira neste artigo como atendê-los?).
Sim. O relacionamento inicia-se junto com as etapas da venda, quer você queira, quer não! Por isso, fique atento às nossas dicas e tire o melhor proveito delas em seu dia a dia na empresa.
Tudo sobre atendimento ao cliente
Pense bem: querer iniciar o relacionamento com um cliente depois de um atendimento frustrado é quase impossível.
Ao contrário do que muitas lojas pensam – e praticam – o relacionamento é a porta de entrada da sua empresa, e não o cartão de visitas, a sua loja bonita, nem nada do tipo.
Quando o atendimento não é satisfatório, dificilmente os clientes prosseguem na compra, e, quando prosseguem, já começam com um pé atrás. É por isso que insistimos, mais uma vez: entenda a importância do atendimento ao cliente e pratique sempre em sua loja!
Sendo assim, o esforço para demonstrar que sua empresa e produto são confiáveis será dobrado, pois a primeira impressão pode até não ser a que fica, mas é a que fica por mais tempo.

Tendo isto em vista, apresentamos algumas dicas para transformar o atendimento do seu negócio na porta de entrada para o relacionamento com o cliente:

Atendimento empático
Quem deseja saber tudo sobre atendimento ao cliente deve começar com o conceito de empatia.
Se você fosse o cliente, gostaria de ser tratado da maneira com que a sua loja o trata?
É preciso atender e se relacionar com o cliente, pensando no cliente, e não apenas pensando em como a sua loja é maravilhosa e seria ótimo para o cliente fazer negócios com você.
Sente-se na cadeira do cliente e veja se o seu discurso está focado na sua loja, como um folheto falante, ou se está focado na real necessidade em servir o cliente.
Pense no atendimento e relacionamento com o cliente como uma maneira de resolver os problemas dele, não os seus!
Não pressione o cliente durante o atendimento.

Foco no longo prazo:
Relacionamento é sempre algo de longo prazo.
Se, no primeiro atendimento, a sua loja tentar empurrar algo para o cliente, certamente ele irá se assustar. A loja e o setor de relacionamento com o cliente não podem sair empurrando um produto ou serviço para os consumidores, sem ter a certeza de que é isso que eles precisam. Muito menos sem a certeza de que o produto que ela tem, fará uma diferença positiva na vida dele.Nesse contexto, o que é relacionamento com cliente senão demostrar, a todo tempo, que se preocupa com ele e deseja encontrar a melhor solução para seus problemas?
Tudo se resume, ou se prolonga, em entender a importância do atendimento ao cliente
O atendimento pode ser um atalho ou um vínculo permanente. É possível perder clientes e continuar com bom relacionamento, da mesma maneira que é possível ter um cliente por muito tempo te odiando.
O atendimento e o relacionamento com o cliente são a porta de entrada em uma loja. É através deles que negócios podem ser encurtados ou prolongados. Portanto, o atendimento, o serviço ao cliente e a cultura da loja são as grandes ferramentas no dia-a-dia dos negócios.

É vital que seu setor de relacionamento com o cliente, e todos os demais funcionários, entendam isso: Faça desses itens um ciclo virtuoso de relacionamento.

Todo relacionamento precisa ser focado no longo prazo.
O relacionamento pode até chegar ao fim, mas a sua vontade de se relacionar com o cliente e superar as suas expectativas e necessidades, precisa ser eterna. Essa força de vontade vai transformar a forma que a loja se comporta junto aos clientes.

Que tal começar a praticar um atendimento focado no relacionamento de longo prazo a partir de hoje?
Conta o que acha a respeito aqui nos comentários, e até a próxima.

Blog 1

Como melhorar a gestão financeira da sua loja?

O bom gerenciamento das economias de uma loja não se limita ao cálculo de custos e receitas. À medida que o negócio cresce, sua administração torna-se mais complexa e aumenta a necessidade de se realizar a gestão financeira da maneira correta.

É ela quem permite o crescimento sustentável do negócio, viabilizando operações de outras áreas, investimentos e proteção em períodos de crise, aumentando as chances de sucesso no mercado.

Para conseguir gerenciar adequadamente as finanças e obter o máximo de lucro, a loja precisa fazer um bom planejamento financeiro, estabelecer estratégias de crescimento e acompanhar os indicadores, que vão ajudar no controle dos processos e atividades, além de mostrar os resultados obtidos.

Veremos agora algumas dicas de gestão financeira para você administrar as contas de forma mais eficiente. Vamos lá?

1) Não misture dinheiro particular com o da sua loja

Algumas vezes ocorre de o proprietário, principalmente em lojas menores ou iniciantes, acabar misturando gastos pessoais com as contas da empresa e isso gera uma enorme confusão patrimonial. Pegar dinheiro do caixa para despesas com a Pessoa Física atrapalha a organização do dinheiro da Pessoa Jurídica. Por isso, manter contas bancárias distintas é uma das primeiras regras para manter uma boa gestão financeira.
Essa separação é fundamental e nos leva à segunda dica.

2) Mantenha verbas separadas para os diferentes setores

A organização das verbas destinadas a cada setor é outro ponto a ser considerado na boa gestão financeira do negócio.
Todas as áreas, como Marketing, Atendimento, Vendas, Compras, dentre outras, devem ter orçamentos individuais, sendo cada uma responsável pelo gerenciamento da própria verba, pelos seus gastos e pela prestação de contas posteriormente.
É muito importante que haja um controle rigoroso para que as verbas não se confundam ou sejam redirecionadas de um setor para outro.

3) Faça um planejamento estratégico

A terceira dica para conseguir realizar uma boa gestão financeira é a elaboração do planejamento estratégico, que possibilita à loja a estruturação das ações internas de curto e longo prazo, e fornece o suporte necessário para que as áreas consigam executá-las.
É preciso definir quais objetivos e metas a loja deseja atingir, além dos indicadores para verificar se ela está no caminho certo ou é preciso adequação.
A partir daí, ela consegue estabelecer prioridades, métricas para acompanhar os resultados e toma decisões de forma mais assertiva.

4) Organize a rotina de atividades financeiras

A gestão financeira é responsável por analisar o movimento financeiro de uma loja, fazendo a administração de todo capital e patrimônio, além de acompanhar o desempenho periodicamente.
Como as atividades e rotinas a observar são diversas, é preciso muita organização e disciplina para manter tudo sob controle. Para se ter uma ideia, é papel da gestão financeira:

  • Fazer planejamento dos recursos, das principais fontes de receita e de custo;
  • Coordenar contas a pagar e contas a receber;
  • Cuidar dos processos fiscais;
  • Realizar pagamentos, recebimentos e cobranças;
  • Administrar fluxo de caixa;
  • Fazer elaboração futura do movimento financeiro;
  • Realizar contabilidade integrada;
  • Constituir fundos e reservas;
  • Apoiar na aquisição de empreendimentos e abertura de filiais;
  • Analisar investimentos no negócio;
  • Prevenir desperdícios etc.

Lembrando que todo o trabalho feito pelo controle financeiro serve de suporte para o desenvolvimento das demais áreas da empresa.
O comprometimento na gestão dos recursos pode afetar o bom andamento dos processos de recursos humanos (contratação, demissão e treinamentos), controle de estoque, vendas, marketing (campanhas de divulgação, por exemplo) etc.

5) Utilize ferramentas que facilitem a gestão

A tecnologia oferece diversas opções de gerenciamento, em nível básico ou avançado (a depender da necessidade da sua loja), para otimizar as tarefas do dia a dia, além de permitir um controle mais preciso dos recursos.
Um grande erro está em achar que a contratação de softwares e ferramentas de gestão é um gasto extra.
O Altimus representa muito mais que um ótimo investimento, pois permite processar um enorme número de dados, o que gera economia de tempo, maior organização do fluxo de caixa, controle de estoque, acompanhamento de saldo, acesso remoto, integração dos setores, dentre outras possibilidades.
Por isso, a dica é utilizar a tecnologia a favor da gestão financeira da empresa.

6) Gestão dos ativos

Toda loja de carros precisa ter ciência e controle de seus bens. Gerenciar corretamente o patrimônio ajuda a evitar desperdícios, reduzindo perdas e gastos, além de otimizar os processos de compras. O controle inclui a gestão de ativos tangíveis (automóveis, dinheiro em caixa, estoque, investimentos etc) e ativos intangíveis (valor da sua loja ou marca, direitos autorais, licenças entre outros).
Ao realizar a avaliação dos ativos, são determinados os valores reais e atualizados de todos os bens que a loja possui e que podem ser transformados em meios monetários, calculando, assim, o valor total de seu patrimônio.

Chegamos a conclusão que dar ao departamento financeiro a devida importância, enxergando o gerenciamento das finanças como algo estratégico para a lojs e não apenas como o setor encarregado dos cálculos e pagamentos pode elevar seu negócio a outro patamar. Manter os dados financeiros atualizados vai garantir uma melhor administração dos recursos, com identificação dos pontos de maior lucratividade e das falhas que podem ser corrigidas, permitindo um planejamento para o futuro com mais segurança. A gestão financeira muitas vezes é feita internamente, porém alguns aspectos podem exigir conhecimentos mais específicos e aprofundados, sendo necessária ajuda especializada.
Nós da Altimus podemos contribuir!

E você como cuida ai na sua loja? Compartilhe com a gente nos comentários.
Até a próxima.

Blog 27

Por que um planejamento faz toda a diferença?

Estou alcançando o que desejo, tenho agenda e cumpro minhas tarefas diárias. Então eu planejo?

Não exatamente. Planejar é muito mais que isso. Quando você entende o poder do planejamento vai perceber como essa ferramenta é poderosa.

Ao realizar um planejamento, mesmo que simplificado, as chances de alcançar o objetivo é muito mais efetiva.

Os sonhos de uma viagem, a compra de um carro novo ou uma casa, muitas vezes fica adiado por anos, devido ao planejamento não ser realizado de forma correta e os acontecimentos do cotidiano acabarem postergando a conquista do objetivo – principalmente se não foi passado para o papel.

O ano passa e no final você se dá conta que metade do que planejou (pensou) não foi realizado e muitas vezes nem chega a sair do pensamento. Esse é o famoso “tinha que…”, perdido em um mar de ideias e possibilidades.

O que muitas pessoas imaginam é que o planejamento pode ser realizado apenas de cabeça e que isto basta para conquistar seus objetivos e metas. Pode até ser que consiga, mas acontece que se os objetivos estão bem planejados, e de forma adequada, você pode realizar um plano de ação e o seguinte pode acontecer: obter resultados muito mais rápidos, melhoria da realização, elimina stress desnecessário, ajuda na organização do tempo e no foco.

Já no ambiente profissional, seja como funcionário, autônomo, empresário, gestor, líder ou empreendedor de alguma forma, realizar um bom planejamento pode proporcionar resultados extraordinários.

O que é planejamento?

Planejamento é o ato de estabelecer o estado atual, definir o objetivo e meta, realizar uma análise da situação atual e seus influenciadores, traçar um plano de ação, fazer as verificações e ajustes necessários e continuar o ciclo.

Nos negócios, quando realizado um planejamento estratégico, esse é compartilhado com a equipe e os demais envolvidos, solicitando apoio para que seja concretizado. É estabelecido um plano de ação, colocado em prática e feitas as reavaliações do processo periodicamente, assim o sucesso será conquistado e muitas vezes superado.

Não precisa ser uma grande empresa/loja ou ter um grande negócio para realizar o planejamento estratégico. O ideal é que todos os negócios, não importa se é fisico ou online, produto ou serviço, realizem o planejamento estratégico.

O planejamento estratégico define os rumos do negócio, analisa os ambientes (mercado) e deve ter sintonia com a realidade. Define o seu ponto de partida e qual a sua missão e onde deseja estar nos próximos 5 anos. Hoje muitos planejamentos são realizados com prazo de 2 a 3 anos, devido a velocidade que as mudanças acontecem.

Após traçar a estratégia, com mais clareza, após a análise do ambiente, fica mais fácil tomar decisões e definir os rumos que devem ser tomados, ampliando a visão do negócio e possibilitando mais sucesso.

O que fazer com o planejamento?

Agora, de nada adianta fazer um belo planejamento e não olhar para ele sempre que possível. Deixar o planejamento a mão e principalmente suas datas-marco bem destacadas para que comemore cada conquista e não se esqueça de realizar.

Planejamento sem ação não tem nenhum valor!

Se o seu negócio possibilita, divida o planejamento estratégico em planejamento tático (divida por departamentos) e planejamento operacional (detalhe o “como fazer”).

Caso não seja um grande negócio e não tenha prática com planejamentos, após definir o planejamento estratégico (ou geral), elabore um plano de ação mais detalhado, com desdobramento dos objetivos, assim ficará muito mais simples e fácil de realizar. O ideal é que desdobre até ser possível visualizar pequenas tarefas diárias.

Como planejar?

Se você já tem prática com planejamento, fico muito feliz por já estar à frente. Agora, se você não costuma planejar e gostaria de alguns passos simples para começar, acompanhe o passo a passo e coloque em prática o mais rápido possível, porque o depois nunca chega. Pegue caneta e papel e comece.

Perguntas a serem respondidas:

  • Qual é o meu negócio?
  • Como ele se posiciona hoje no mercado?
  • Quais são os seus pontos fortes e fracos?
  • Quais oportunidades e ameaças o cenário apresenta?
  • Como deveria ser?
  • Quais tendências e mudanças devem ocorrer que influenciará o meu negócio?
  • Como deve ser o meu negócio daqui a 2, 3 ou 5 anos?


Defina a sua visão (ponto de partida, estado atual), realize uma análise do ambiente externa e interna. Considerando a análise do mercado e dos seus concorrentes com seus pontos fortes e fracos, as oportunidades e fraquezas, estabeleça a sua missão, respeitando seu propósito; formate seus objetivos e metas (devem ter datas e prazos), realize o plano de ação e estabeleça um prazo para verificação. Agora é hora de colocar em prática.

O processo funciona melhor seguindo estes passos:

1º Planejar
2º Organizar
3º Gestão do processo – Dirigir
4º Controlar – medir e realizar as verificações e mudanças necessárias

Detalhes do planejamento:

Se a sua loja possui muitos departamentos, detalhe o planejamento em financeiro, administrativo, recursos humanos, estruturas e mercadológico. Não se esqueça de estar sempre alinhado com a sua realidade, ajuste para atender as necessidades de seu negócio.

Elabore um plano de ação:

O quê? Estabeleça a meta a ser executada e identifique as tarefas (atividades), definindo a atividade agora é seguir cada tópico. Caso para alcançar a meta deva realizar dez atividades, deve seguir o roteiro para cada atividade.

Por quê? Importante saber o motivo pelo qual deseja fazer a tarefa, este motivo irá levar você rumo a seu objetivo.

Quem? Defina quem será responsável pela atividade. Se pode ser delegado, então delegue; identifique qual a pessoa mais adequada para uma solução mais efetiva desta tarefa.

Onde? Qual o local a ser realizado.

Quando? Nesse caso defina a data e horário ou o prazo.

Como? Como deverá ser feito e quais as atividades ou processos para ser concretizado (o planejamento).

Quanto? Pode custar tempo, dinheiro, recursos.

Seguindo esses passos o seu planejamento e plano de ação estarão encaminhados. Lembre-se de colocar em prática e de acompanhar sempre: fazendo revisões e ajustes sempre que necessário. A sua produtividade vai aumentar tanto que sobrará tempo até para viajar. Comece planejando a sua viagem de ferias, por que não?
E você, o que acha de planejamento?
Compartilhe com a gente nos comentários.

Até a próxima.

render-trabalho

Como fazer seu dia render mais em uma Revenda de Veículos?

Você faz parte destas pessoas que acreditam que 24 horas por dia é pouco diante de tantos compromissos e responsabilidades? Quando você olha para sua agenda do dia, as prospecções que deve realizar e para o número de clientes que precisa atender, você quase enlouquece? Calma, eu vou te dar dicas valiosas de como potencializar a sua vida.

Você sabia que existem diversos estudos que revelam o tempo que nós temos diariamente para realizar nossas metas? E para quem não sabe, todos nós seres humanos detemos de 1.440 minutos de vida por dia para correr atrás dos nossos objetivos e vender nossos produtos e serviços.

Quer dizer, teríamos muito tempo de sobra se, não gastássemos cerca anos de nossa vida tomando banho, outros anos dormindo, sem contar o tempo de vida que gastamos com mensagens no celular, mídias sociais, pausa para fumar ou tomar café, fofocar, assistir séries ou manter conversas irrelevantes.

É muita perda de tempo, não é mesmo?

A vista disso, você ainda diria que te falta tempo para realizar aquelas atividades que tanto adia? Será que 24 horas por dia realmente não é o suficiente para você atingir as suas metas?

Se após você se conscientizar destes números e ainda optar por dedicar seu tempo em séries, celulares e internet, tudo bem, afinal cada um de nós é livre para levar o tipo de vida que escolhemos. Entretanto, seria bom que ao menos você acordasse mais cedo a fim de dar conta de tudo isso.

Pensando nisso, entre para o clube das cinco. Você não precisa conhecer ninguém que queira participar para criar este grupo, basta você querer e você pensar que é capaz.

Você não precisa convencer ninguém a acordar às 5 horas da manhã. Basta fazê-lo e, mais pessoas seguirão este ritmo, logo em seguida.

Acordar às 5 da manhã, quando o céu ainda está escuro e estamos no melhor momento do sono, pode soar horrível para muitas pessoas. Mas, se sua intenção é se tornar um vendedor de sucesso, talvez esta seja uma ótima opção, além de oferecer inúmeros benefícios e resultados para suas vendas.

Parece loucura né?! Todavia, cada vez mais as pessoas aderem a este novo estilo de vida.

O resultado? Você sempre sairá na frente das outras pessoas

Como numa corrida em que você pode largar na frente dos outros corredores, assim funcionará a sua rotina. Quando o relógio apontar oito horas da manhã, você já terá realizado tantas tarefas que muitos estarão apenas começando.

Claro que você não vai ligar para seus clientes às cinco da manhã, mas você pode adiantar seu exercício diário, tomar o seu delicioso café com mais calma, ler seu jornal, verificar seus e-mails, responder algumas mensagens, se preparar com calma e tempo para o trabalho, você pode sair com antecedência para evitar o trânsito, entre outras mil facilidades…

Grandes executivos e pessoas de sucesso, mesmo com a vida ganha, optam por acordar às 5h com a finalidade de se sentirem em vantagem competitiva. Estar à frente!

Não se trata de apenas aumentar suas vendas, ganhar dinheiro e produtividade, embora acordar às 5h da manhã trará tais benefícios sem sombra de dúvida, mas em adotar um estilo de vida repleto de realizações em todas as áreas da sua vida.

Que tal encontrar tempo para frequentar aquela academia que tanto você promete ir, mas que não tinha tempo antes?

O que você acha de aumentar as visitas aos clientes por dia, já que agora você terá tempo de sobra? Além disso, você poderá também cuidar mais da sua espiritualidade, da sua saúde e ter mais tempo de qualidade com as pessoas que você ama.

Veja que ter tempo tem ligação direta com os resultados de vendas que você deseja. Acordar mais cedo pode otimizar seu dia de forma que você nunca havia pensado.

“E se você visitar um cliente a mais por mês, por semana ou quem sabe um cliente a mais por dia”? Acordar cedo pode lhe dar uma série de vantagens, até vender e faturar mais.

Mas para isso, aperte o “Play” do seu despertador as 5am, salte da cama para um dia de oportunidades, porque que quem tem tempo tem mais oportunidades.

bom-lider

Você é um bom líder na sua Revenda de Veículos?

Saiba quais erros evitar para estar em sintonia e poder apresentar os melhores resultados, um time de vendas nas lojas precisa de liderança. Precisa de um bom líder de vendas!

Há diferenças entre ser chefe, gerente e um líder, Para ser líder, você precisa obedecer a alguns requisitos de relacionamento, planejamento e foco. O caminho não é fácil. Conflitos internos, a pressão por resultados e o imediatismo por resultados na revenda podem atrapalhar no desenvolvimento da equipe e fazer você perder a confiança dos membros do seu time.

Por isso, coocamos aqui erros mais comuns de líderes de vendas, para você ficar atento e não cair nos mesmos vacilos. Assim, poderá construir uma boa e produtiva em relação com o seu time e diminuir a rotativade da equipe. Ter uma equipe sólida e firme também traz muito mais credibilidade para a sua revenda.

– Deixar de motivar o seu time de vendas

Muitas lojas não oferecem treinamento de liderança. E, por causa disso, nem sempre se dá a ênfase necessária à importância de liderar. Há um foco maior em lucro e faturamento, volume de vendas e demais métricas tangíveis, de mensuração mais prática e fácil. Por causa disso, valores que não se expressam diretamente em números, como motivação, harmonia e bom relacionamento acabam relegados ao secundarismo. Mas é importante ter esses valores como norteadores no ambiente de trabalho. Eles também influenciam diretamente no resultado final. Incentivar o trabalho em equipe, promover boas performance, manter o time atualizado e recompensar de forma justa são estratégias essenciais para uma boa liderança.

Confundir liderança com gerência

A liderança é o ato de envolver a equipe para atingir a meta da empresa, aplicando a motivação e o incentivo necessário.

O líder de vendas é aquele que possui a confiança e a credibilidade da sua equipe, mas, ao mesmo tempo, trabalha de forma estratégica para o aumento das vendas.

O gerente de vendas tem como responsabilidade administrar, cobrar resultados e coordenar o relacionamento do time com o restante da empresa. Na verdade, “gerência” é o cargo que ele exerce e não está diretamente relacionado com liderança.

– Não ser acessível e ocultar resultados

Esse é um dos fatores que mais desmotivam os vendedores de uma equipe. Ocultar resultados de desempenho e não dar feedbacks sobre suas atividades são formas de diminuir a eficácia do time. Se um vendedor errou, oriente-o para não cometer mais erros, e isso se conquista através de feedbacks. Se ele acertou, precisa ser reconhecido e elogiado também. Mas lembre-se de fazer isso individualmente, para evitar constragimentos perante outras pessoas da equipe.

– Não monitorar e comunicar o progresso das metas

Monitorar o progresso das metas é muito importante para que a equipe sinta-se motivada a alcançá-las. Sem isso, o time de vendas não saberá em que ponto estão e se precisam mudar suas práticas de vendas. Não basta somente definir os objetivos da equipe: ela precisa ser comunicada constantemente sobre o andamento das vendas. Dessa maneira, o seu time vai se sentir parte do processo de vendas e responsável por ele.

– Não administrar conflitos na equipe

É normal uma equipe comercial ter pequenos conflitos. O que não é normal é uma liderança comercial que não se preocupa com a saúde do relacionamento dos colaboradores e não demonstra uma postura proativa em casos de desacordos ou brigas internas.

Para isso, o líder precisa agir de forma consciente, justa e ética para resolver os problemas. E fazer com que os conflitos não se tornem um fator de desmotivação.

– Deixar de fazer treinamentos de vendas
Se a equipe de vendas precisa vender mais, é necessário que a liderança faça treinamentos de vendas ou leve seu time à empresas especializadas. O treinamento é uma ferramenta que a liderança comercial deve utilizar para aumentar a eficiência do time, elevando os resultados e também a lucratividade da loja. Hoje em dia além dos vários cursos presenciais, há uma infinidade online, otimizando tempo e reduzindo até mesmo o custo.

  • Gerenciar mal o próprio tempo

A gestão do tempo do líder de vendas precisa estar voltada para a otimização das atividades e o desempenho de todas as responsabilidades de maneira eficiente. Essa é uma habilidade particularmente importante que todo líder precisa ter para conseguir lidar com a pressão de todas as demandas.

Delegar tarefas que são possíveis é necessário para poder focar nas atividades mais estratégicas, como dar atenção individual a cada vendedor, participar de reuniões com clientes maiores e motivar a equipe.

– Focar apenas em resultados

Um líder que fica de olho apenas no fim do processo, ou apenas em metas financeiras, tende a criar atalhos para alcançá-lo mais rápido, para alcançar o resultado imediato. A conquista de resultados é um processo. Administrar a pressão desde o primeiro dia evita que ela cresça demais ao final. Planejar e distribuir tarefas de maneira organizada faz com que os resultados apareçam de maneira natural. O imediatismo impede o bom desenvolvimento do processo, pode desgastar a relação entre colaboradores e levar até a atitudes antiéticas.

Podemos concluir que dar o feedback certo e a recompensa justa. Entender que resultados não aparecem da noite para o dia. Administrar bem o tempo e promover atualização do time. Estas são algumas das características que um bom líder de vendas de revendas precisa ter.

Não seguir esse conjunto de boas práticas pode causar maus resultados e um ambiente de trabalho ruim. E isso não é bom para ninguém.

Liderar não é fácil. Mas é preciso. Esteja sempre atento a esses possíveis erros. Seja humilde. E construa um time de vendas na sua loja que esteja sempre afiado, em harmonia e que confie em você!

E você, tem mais alguma sugestão de erros a serem evitados pelo líder de vendas? Compartilhe com a gente nos comentários.

Até a próxima.

mkt digital

Você sabe atrair leads para a sua revenda de veículos usando o marketing digital?

Neste post iremos falar um pouco sobre isso. Portanto, saiba como atrair e nutrir os seus leads. Você precisa deles e eles também de você. Com os blogs, sites, dispositivos móveis e redes sociais cada vez mais presentes em nosso dia a dia, a forma de gerenciar a sua loja deve se adaptar a essas tecnologias e mídias.


Hoje em dia vivemos na era digital, e o mesmo acontece com o marketing, também é digital. Por isso, quem quer seguir a carreira de empreendedor deve se preparar.

Mas o que são os leads? Onde eles estão? Como sobrevivem? Como atraí-los?

Pois bem, tais perguntas são frequentemente feitas por empreendedores de primeira viagem, ao perceberem que os leads são fundamentais na estratégia de marketing. Os leads são consumidores potenciais que demonstram interesse em consumir/comprar um produto ou marca. De uma forma geral, esse interesse é indicado quando eles preenchem formulários para receberem ofertas e notícias a respeito de um produto ou serviço.

Ao preencher o formulário com alguns dados, os leads passam a constituir o funil de vendas, que é outro termo que o empreendedor vai ouvir muito no marketing digital.

Lembre-se também que alguém que entra em contato com a sua empresa com o intuito de saber mais sobre um produto ou serviço pode ser chamado de lead. Por essa razão, pelo fato de estar a poucos passos de se tornar o seu cliente, o lead se torna uma peça imprescindível no marketing digital. Por isso a frase “lead hoje, cliente amanhã” não deixa de ter lá um fundo de verdade.

A atração de leads

Se os leads são aqueles possíveis clientes que demonstraram interesse no que você tem para oferecer, então é hora de saber como atraí-los. Nesse caso, a atração de leads conta com uma palavrinha básica: “conteúdo”.

Mas cuidado: de nada adianta gerar muito conteúdo para um exército de pessoas que não estão interessadas no seu produto. Quantidade não é qualidade quando se trata de produção de conteúdo no marketing digital.

O planejamento e o foco no público correto são alguns dos ingredientes que possibilitam uma correta atração dos leads. Por isso, preste atenção nas dicas abaixo para você fisgar os seus potenciais clientes.

Perfil correto do lead

Saber quem é o seu lead é o primeiro passo a ser dado. Sendo assim, estude o seu público, saiba o que ele precisa, quais são os problemas dele e o que você vai dizer para solucionar esses problemas. Partindo dessas informações que você vai criar o conteúdo adequado para atrair o lead.

Lembre-se também de criar conteúdo que seja interessante, mostrando que o seu produto ou serviço é a solução.

Blog

A atração de leads pode ser feita por canais variados. Ter um blog, por exemplo, é uma maneira prática de criar conteúdo. Um blog possibilita unir, em um mesmo espaço, texto, vídeos, imagens e também gráficos.

Além disso, os blogs permitem uma boa interatividade por meio dos comentários, bem como apresentam possibilidades de analisar o sucesso das postagens, mostrando quais foram as mais acessadas, em quais horários, em qual mês e outros aspectos relevantes.

Vale destacar que não é difícil criar e gerenciar um blog. Hoje em dia as plataformas de postagens são intuitivas e trazem templates dos mais variados.

Na plataforma WordPress, por exemplo, é possível contar até mesmo com plugins que permitem otimizar o seu conteúdo pelas palavras-chaves mais adequadas com o seu negócio.

E-mail marketing

Ele é muito eficiente, pois apresenta uma forma de interação personalizada e direta com quem realmente é o seu público. Mas lembre-se: nada de spams! Cuide com os títulos e conteúdos. Tenha uma lista de pessoas que realmente estão interessadas em receber os seus e-mails.

Uma dica quando o assunto é o envio de e-mail marketing é ter tudo planejado, inclusive contar com um calendário de envios. É importante também se preocupar com a imagem do e-mail, prezando por um layout claro e atraente. Além disso, é muito importante poder contar com ferramentas que ajudam no envio dos e-mails.

Redes sociais

Graças à facilidade de acesso à internet, bem como diante da popularização de dispositivos móveis, as pessoas estão praticamente 24h nas redes sociais.

Seja para interagir com amigos e parentes, seja para pesquisar produtos e serviços, as redes sociais adquiriram ao longo dos anos uma enorme influência no cotidiano das pessoas. Por isso, é importante usar tais redes como meio de propagar conteúdo.O Facebook e o Instagram, por sua vez, permitem que você crie uma página para o seu negócio, bem como possibilitam a publicações de vídeos, textos, imagens e stories do dia a dia.

Com essas instruções básicas, você já sabe o básico para prospectar os leads! Coloque em prática hoje mesmo e nos diga o que acha aqui nos comentários.

Até a próxima.







cliente-ideal

Como saber o perfil do seu cliente ideal?

Uma loja para ser bem-sucedida deve ter claramente definido qual é o perfil do cliente perfeito, aquele que é mais lucrativo e que faz a loja prosperar. Para isso aqui na Altimus, usamos a Curva ABC, é um método utilizado onde alguns pontos (nesse caso, os clientes) são organizados por ordem de relevância. 

Normalmente essa relevância é calculada com base na representatividade que esses clientes possuem sobre o faturamento da loja. Uma loja deve sempre definir sua Curva ABC para entender quais clientes devem ser atendidos e quais não são tão interessantes para ela. É um erro achar que você tem que atender todos os clientes que aparecem.

Muitas vezes, tentar atender todo mundo gera insatisfação, baixos índices de recompra e pior, propaganda negativa. Alguns clientes não têm o perfil para serem atendidos por sua loja e, neste caso, o vendedor pode sim indicar uma outra loja que seja mais compatível com o que eles esperam. 

Tendo a Curva ABC clara, uma loja pode gerar esforços mais focados. O marketing pode ser direcionado para atrair clientes que tenham o perfil ideal e vendedores podem dar mais atenção para esses clientes.
 

Como definir sua Curva ABC

Você sabe qual é o perfil do cliente ideal da sua loja? Aqui está um ótimo exercício para ajudá-lo nesta descoberta:
 

1 – Escolha de 3 a 5 clientes atuais que você adora fazer negócios. Não só na questão de relacionamento, mas sim de volume e lucratividade (maiores clientes, os que compram mais frequentemente, os que geram mais lucratividade).
 

2  Quais são as características desses clientes?
 

  • Características demográficas (homem/mulher, jovem/idoso, renda grande ou pequena, média/grande empresa, faturamento/quantidade de funcionários).
  • Características geográficas (localização dos seus clientes ideais).
  • Características do perfil de consumo (frequência de compras, tipo de pagamento, compras adicionais).
  • Dessas características listadas acima, quais são as 3 principais?
     

3 – O que os seus clientes mais valorizam na sua loja?(Pode utilizar o posicionamento estratégico e/ou a proposta única de valor).
 

Perfil do cliente ideal da minha loja:
 

  • Clientes que tenham( Cite as 3 principais características)
  • (Cite aqui os problemas) …que estão procurando resolver estes problemas.
  • (Cite aqui as qualidades)…e que valorizam.
     

Preencha o perfil do cliente ideal na Curva ABC e distribua entre os vendedores da sua loja, coloque no mural, mande por e-mail etc.
 

Se desejar, reúna-se com a equipe para discutirem essas características, os problemas e o que os clientes valorizam. Você vai ver como a conversa será interessante!
 

Adote este método em sua loja e nos conte aqui os resultados!
 

Até a próxima.

segunda-feira-2

Produtividade no trabalho: por que não gostamos da segunda-feira?

O desafio de manter a produtividade no trabalho tem muito a ver com a forma com que lidamos com nossa semana.

Você gosta da segunda-feira? Ou prefere a sexta-feira?
 

Ela é o símbolo do primeiro dia de trabalho da semana. Para alguns, porém, será o primeiro dia do martírio semanal. Para outras, o primeiro dia da realização de seus sonhos ou o primeiro dia para buscar novas oportunidades.

Nem todos os dias são perfeitos

Claro que tem segundas-feiras que não serão tão boas assim e às vezes até darão uma pontinha de aflição. O problema começa quando o domingo à noite traz uma sensação de desespero, angústia ou tristeza pelo dia seguinte. Quem não gosta de nenhuma segunda-feira precisa parar um pouco para refletir sobre a sua vida. É de segunda a sexta que você faz seus sonhos saírem do lugar. Poucas pessoas fazem isso no final de semana.

Encare que você passa a maior parte da sua vida no papel profissional. Ficar com esse estado de tristeza, desespero ou de conformismo na segunda-feira só piora o seu dia-a-dia. Aí não tem motivação, gestão de tempo ou programa de incentivo que dê jeito.

A necessidade de transformar a gestão do tempo

Tem gente que culpa a empresa, o cargo, o cliente, o tempo, ou o trânsito por esse estado “desmaiado” em que vive na segunda-feira, o que é pior ainda. Estas pessoas costumam transferir para terceiros a sua própria incapacidade de mudar, fazer diferente, buscar alternativas.

Para este perfil, a gestão do tempo será inútil, pois todo o tempo em que ele poderia priorizar o importante fica abarrotado de urgências e coisas circunstanciais e neste caso é melhor se conformar ao invés de mudar. O seu poder de escolha, planejamento, pró-atividade fica minimizado.

Talvez você esteja passando por essa crise agora, talvez esteja sobrevivendo na empresa enquanto lê este texto. Talvez a sua segunda-feira seja tão insuportável que você está a ponto jogar tudo para o alto.

Comece a transformação!

Se você chegou a este ponto, por que não ser honesto consigo mesmo e tomar uma atitude? A pior coisa que podemos viver é a auto-hipocrisia. As oportunidades estão mais escassas do que anos atrás, mas não podemos nos acomodar.

Se você é líder, pergunte à sua equipe se eles gostam da segunda-feira. Faça algo que permita respostas anônimas, se necessário! Obter 100% de pessoas que amam a segunda-feira vai ser impossível. Seu foco é trabalhar de forma positiva com os que não gostam, mas são importantes para a empresa, e tornar seu trabalho mais agradável para elevar sua motivação e produtividade.

Tem gente que ama a segunda-feira, pois é o primeiro dia da semana para realizar suas metas. Alguns ficam ansiosos pela segunda e também pela sexta, pelo fim de semana com a família. Ame o que faz e isso te permitirá criar resultados de forma equilibrada.

Você não precisa amar a segunda-feira, mas pode gostar do que ela representa. Isso certamente vai elevar a sua produtividade no trabalho. Se não gosta da segunda-feira, basta se perguntar: Até quando vou ficar sobrevivendo com algo que não gosto? Até quando vou gastar meu tempo à toa?
Pense a respeito e nos diga o que acha nos comentários!

Até a próxima.

economia-como-escolher-o-melhor-programa

Você sabe como escolher o melhor programa para controle financeiro?

Pessoas e empresas devem estar com as suas finanças em dia. Isso garante mais tranquilidade para o dia a dia. Mas empresas de todos os segmentos de mercado e mesmo de pequeno porte possuem um grande fluxo de informação, devendo usar ferramentas específicas.

Atualmente, existem diferentes soluções, para ambos os casos. Porém, você sabe como escolher o melhor programa para controle financeiro? Para entender quais são todas as possibilidades continue lendo esse artigo com os seguintes tópicos.

  • Uso intuitivo e facilitado
  • Acesso remoto seguro
  • Informatização dos dados
  • Processos automatizados
  • Conexão dos setores
  • Controle financeiro

Uso intuitivo e facilitado

Uma das formas mais adequadas de saber como escolher o melhor programa para controle financeiro é avaliando a facilidade do seu uso. Afinal, se essa ferramenta para empresas tem o objetivo de dar mais agilidade para a rotina do dia a dia, deve ser prática.

Além disso, um software de controle financeiro intuitivo e fácil de manejar permite que a sua equipe seja treinada mais rapidamente. Desse modo, a sua empresa consegue se beneficiar com todos os recursos do programa o quanto antes.

Vale lembrar que um software intuitivo é aquele onde se consegue navegar sem problemas porque tudo está bem visível e possui uma lógica adequada de funcionalidades. Com isso, você e a sua equipe não precisam ficar procurando onde clicar a todo o momento.
 

Acesso remoto seguro

Outra característica que torna um software o melhor programa para controle financeiro lhe oferece acesso remoto. Dessa maneira, ele pode ser acessado de qualquer lugar, a qualquer momento, inclusive, de dispositivos móveis através de um aplicativo para controle financeiro.

Essa vantagem é extremamente importante porque significa que mesmo quando estiver fora da sua empresa, em reuniões ou viagens, você pode acompanhar o seu negócio. Já a sua equipe consegue realizar vendas externas com sucesso. Outro aspecto relevante é que, se o programa pode ser usado à distância, é online, o que quer dizer que funciona na nuvem. Nesse caso, todos os dados da sua empresa estão em servidores seguros, sem ocupar o espaço das máquinas do seu escritório.

Também existe um custo menor com a contratação de profissionais para dar conta dos mecanismos de segurança, como para fazer as cópias de segurança, os backups. Afinal, o melhor programa para controle financeiro deve ainda oferecer esse serviço.
 

Informatização dos dados

Aplicativos de controle financeiro devem ser eficientes em informatizar todos os dados da sua empresa. Esse é o primeiro passo para que tudo possa ser executado com mais agilidade por você e sua equipe. Quando obtém-se informatização para as informações, elas ficam ficam mais fáceis de serem acessadas, mesmo que referentes a meses ou até anos anteriores. Também é possível organizá-las de maneira mais apropriada, bem como utilizá-las para fazer levantamentos, inventários e relatórios.

Todos esses documentos possuem grande importância para o planejamento financeiro e dos demais setores do seu negócio. Além disso, os dados quando visualizados contribuem com a tomada de decisões. Isso acontece porque você consegue fazer as escolhas mais assertivas para a sua empresa ao ter acesso a dados completos e atualizados para se basear. Afinal, achismos não devem fazer parte da tomada de decisões sérias.
 

Processos automatizados

Mais um aspecto relevante que você deve avaliar ao escolher o melhor programa para controle financeiro para gerenciar o dinheiro do seu negócio é o quanto de informatização ele oferece para a rotina do seu escritório. Isso possibilidade muito mais agilidade.

Quando os procedimentos se tornam automáticos você pode reduzir até mesmo o quadro de pessoal e economizar com essa decisão. Afinal, é possível que menos funcionários realizem o trabalho de mais pessoas, sem sobrecarregar-se e sem que haja perda da qualidade.

Com processos automatizados, reduz-se ainda o tempo perdido em digitar informações. Ou seja, se elas ficam informatizadas no seu sistema, um único comando pode ser o suficiente para preencher dados de documento com muito mais rapidez. Além disso, existem tarefas que quando feitas manualmente estão sujeitas a passarem por muitos erros e, com processos automatizados, esse problema é reduzido de forma expressiva. E mais, consegue-se manter um mesmo padrão de qualidade.

Conexão dos setores

O melhor programa para controle financeiro deve permitir que os setores da sua empresa se conectem. Essa possibilidade torna o dia a dia ainda mais dinâmico, pois as informações podem migrar de um setor para o outro e menos trabalho deve ser feito.

Um bom exemplo para explicar a vantagem da conexão dos setores é que ao fazer uma venda, o responsável por ela a finaliza no sistema. Assim, os dados migram para o setor financeiro, que deve emitir a nota fiscal, com os dados do cliente que já foram inseridos anteriormente.

Além disso, o software de controle financeiro adequado possui outras funcionalidades, como controle de estoque. Nesse caso, a informação sobre a venda concluída segue para o setor de estoque também, onde é executada a baixa automática do item comercializado.
 

Controle financeiro

Além das vantagens que envolvem o melhor programa para controle financeiro, é preciso que a funcionalidade de gestão das finanças seja bem completa. O sistema de gestão empresarial que dispõe de controle financeiro, conta com os recursos de fluxo de caixa, contas a pagar e a receber. Também possui conciliação bancária, bem como opções de emitir boleto bancário e carnê de pagamento.

Com todas essas possibilidades é possível gerenciar o seu negócio com sucesso, além de fazer planejamento financeiro, uma tarefa anual que deve ser revista mês a mês.

Outra dica importante, mesmo com o melhor programa para controle financeiro, é que você não misture as suas finanças pessoais com as da sua empresa. Esse é um erro bastante comum que pode levar a altos prejuízos para o seu empreendimento.

Afinal, se não existir essa separação, você pode acabar usando o dinheiro da sua empresa para contas pessoais, prejudicando o pagamento das contas do seu negócio. Por isso, também é importante que você tenha um programa para controle financeiro do seu dinheiro pessoal.

Conheça na prática o Altimus, um sistema de gestão empresarial online para pequenas, médias e grandes empresas que facilita a gestão do seu negócio.

Até a próxima.

gestao-do-tempo-para-sua-rotina-337391369

Gestão do tempo para sua rotina

gestão do tempo, é o principal gargalo dos empreendedores, como saber se está usando seu tempo da forma certa? Se for com coisas realmente importantes e que agregam valor para você?

tempo passa rápido demais e não nos damos conta disso, mas somos especialistas em olhar para trás e reclamar da rapidez com que tudo aconteceu. Essa sensação é comum porque, geralmente, utilizamos o tempo de forma inadequada.

Costumamos gastá-lo com atividades que nada têm a ver com nossos maiores objetivos, com nossos sonhos, com nossa missão de vida. Isso resulta na sensação de que o tempo passou rápido demais e que não aproveitamos o suficiente. Antes de continuarmos, faça uma auto-análise, pensando sobre as perguntas abaixo:

No ano que passou, quantas atividades você fez que realmente proporcionaram uma diferença em sua vida? Foram atividades que trouxeram resultados reais para sua vida pessoal e profissional? Estavam relacionadas com sua missão, com seus objetivos e com as pessoas mais importantes para você? Você fez a gestão do tempo no ano que passou?

No último mês, quanto tempo foi dedicado à resolução de problemas urgentes, estressantes e que costumam a aparecer de última hora? Quantas vezes você ficou até mais tarde no escritório para concluir aquela tarefa urgente?

Na última semana, quantas vezes você utilizou seu tempo em atividades que nada tem a ver com seus objetivos ou que não eram urgentes? Quantas vezes você jogou tempo fora em uma conversa sem sentido, uma festa que você não queria ter ido (mas seus amigos ou sua família o “empurraram”), assistindo um programa de TV ou lendo uma revista, que não agregaram valor nenhum à sua vida? Quantos e-mails de piadas, correntes mágicas de felicidade ou sites não “recomendados” você viu.

Qual foi, entre essas três perguntas, aquela que você teve mais dificuldade de se recordar de ações? Por acaso foi a primeira? Você reparou que a primeira se referia a um intervalo de um ano, o maior período de tempo de todas as perguntas? E qual foi a mais fácil? A segunda ou a terceira pergunta?

As pessoas costumam ter a sensação de que o tempo voa porque utilizam esse tempo fazendo atividades que se encaixam na segunda ou terceira perguntas e deixam as coisas que realmente gostariam de fazer de lado. Pois elas nunca são urgentes e em geral nunca são priorizadas. E, por consequência, nunca são feitas.

Einstein costumava dizer que o tempo corre a uma velocidade de sessenta minutos por hora. Nessa corrida, você tem que colocar seu carro na pista certa, naquela que irá levá-lo a seus maiores objetivos e sonhos.

Caso contrário, correrá quilômetros na estrada da vida e quando chegar ao final descobrirá, tarde demais, que pegou a pista errada e continuará reclamando que o tempo voa, pois não viveu seu tempo com coisas importantes para você.

Pense nisso, organize seu tempo e aperfeiçoe seu dia.
Até a próxima.

gestao-de-vendas-dicas-para-aumentar-a-produtividade-do-time-comercial-726591692

Gestão de vendas: dicas para aumentar a produtividade do time comercial

Nas últimas décadas, a palavra “produtividade” passou a ser repetida com frequência no mundo dos negócios. Desde então, o seu conceito tem sido muito explorado no mercado. Além disso, ser cada vez mais produtivo se tornou um dos principais desafios das organizações. Na gestão de vendas, o cenário não é diferente. Aumentar as vendas e a produtividade do time comercial está entre os maiores objetivos das empresas que desejam crescer.

“Como vender o dobro, o triplo, ou quádruplo do que vendo hoje?” é (e deve mesmo ser) um questionamento recorrente entre os líderes do setor. A resposta para essa pergunta está, sem dúvidas, na produtividade em vendas da sua equipe. O desempenho dos colaboradores da área é determinante para os resultados da loja.

A gestão de vendas é muito importante nesse sentido. Além de outros fatores, a produtividade está diretamente relacionada à organização e ao planejamento. Neste artigo, vamos falar sobre esse assunto e trazer dicas importantes para a gestão.
 

O que é gestão de vendas?

No início de um negócio, o empreendedor costuma gerenciar as vendas do seu produto de forma praticamente manual. Do mesmo modo, em um primeiro momento, o relacionamento com o cliente também funciona de forma “artesanal” e sem muito planejamento.

No entanto, se o objetivo for fazer a loja crescer e aumentar cada vez mais o número de clientes, é preciso ter o mínimo de organização. É nesse contexto que se insere a gestão de vendas. Ela é necessária para que o proprietário possa gerenciar as informações  e não deixar de vender por falta de sistematização.

A gestão de vendas envolve planejamento, estratégias, processos e execução de tarefas. Ao fornecer soluções centradas no esforço de vendas, ela desempenha um papel fundamental para o desenvolvimento dos negócios.

Por meio da instauração de uma liderança, do gerenciamento de recursos e de treinamentos, a gestão de vendas permite que as metas da empresa estejam organizadas. Além disso, também estão relacionadas a ela outras atividades ligadas às vendas, como o marketing, os preços, a distribuição de trabalhos e a pesquisa.

Atualmente, em função dos avanços tecnológicos e do estabelecimento de um ambiente digital consolidado, a gestão de vendas se tornou mais eficiente,isso porque hoje existem softwares online com preços acessíveis e sistemas muito simples de se trabalhar.
 

Produtividade: por que ela é importante?

Como sabemos, a produtividade nada mais é do que a relação direta entre a “quantidade produzida” de determinado tarefa ou serviço. Ser mais produtivo ou vender com maior produtividade significa vender mais, utilizando os recursos que se tem.

A produtividade em vendas é medida através dos resultados obtidos: quanto melhores eles forem, maior a produtividade do seu time. Ou seja, em resumo, o sucesso das vendas está diretamente relacionado com essa capacidade da equipe comercial de “produzir”. No caso, de vender. Aumentar a produtividade do time comercial, definitivamente, evita gastos desnecessários e traz um retorno financeiro maior para o empreendimento.

Para aumentar a produtividade do time comercial e ter uma equipe produtiva, é o maior desafio dos líderes de vendas dos mais diferentes ramos do mercado. No entanto, embora muitos adotem estratégias com esse fim, poucos conseguem obter retornos realmente interessantes. Isso acontece porque muitos gestores continuam a insistir em táticas que não funcionam durante tempo demais.
 

1. Tenha um bom planejamento

Planejar é preciso e nunca é demais bater nessa tecla. Uma boa gestão de vendas pressupõe um plano de ações estrategicamente elaborado. O planejamento é essencial para que estejam bem definidas não apenas as metas. Ele também deve indicar os caminhos por meio dos quais se chegará até a sua realização e as suas várias etapas.
 

2. Crie uma equipe heterogênea e bem distribuída

Uma equipe produtiva é formada por pessoas que desempenham da melhor maneira possível as suas funções. Contudo, sabemos que os funcionários possuem habilidades e competências diferentes. Se for bem gerenciada, essa diversidade será de grande valor.Os perfis dos vendedores de uma empresa precisam se complementar. Desse modo, é possível organizar esses colaboradores dentro do processo de vendas, alocando cada um na etapa em que o seu aproveitamento for melhor.
 

3. Defina e apresente metas claras

Parte do planejamento para aumentar a produtividade do time comercial consiste na definição das metas. Estas devem ser claras, objetivas e mais: precisam ser realmente apresentadas aos vendedores. Isso significa que a sua equipe deve necessariamente saber exatamente quais são os objetivos que ela terá que cumprir. Você não pode cobrar por algo que não ficou claro para o funcionário. Então, certifique-se de que ele entendeu o recado e sabe o que precisa ser feito.
 

4. Se necessário, mostre como se faz

Nem todos acertamos na primeira vez. Aliás, talvez a maioria acerte apenas depois de um tempo. Se o vendedor não estiver apresentando a produtividade esperada, antes de reclamar ou de tomar alguma decisão mais séria, ensine. Muitas vezes, porém, ensinar significa literalmente mostrar como se faz. Somente depois dessa medida, você realmente poderá avaliar o desempenho desse funcionário.
 

5. Construa as estratégias junto com o time

Incluir a equipe na definição das metas e das estratégias para atingi-las é uma ótima forma de motivá-la. Procure reunir os seus vendedores e estimular a criação conjunta de soluções para os “problemas” que irão surgir no caminho. Envolver as pessoas no planejamento é certamente um estímulo para aumentar a produtividade do time comercial da sua empresa.
 

6. Ofereça os recursos necessários

A produtividade exige boas ferramentas de trabalho. Portanto, você pode ter certeza de que o desempenho da equipe será melhor se forem disponibilizados os recursos necessários. Não é possível fazer grandes exigências e esperar bons resultados, se você não oferecer uma infraestrutura adequada.Computadores, internet de qualidade, linhas telefônicas são alguns dos recursos indispensáveis para o trabalho de um vendedor.
 

7. Padronize os processos

Os seus vendedores sabem exatamente como devem executar as suas tarefas para alcançar as metas? Padronizar os processos de vendas evita atitudes e abordagens equivocadas. Os colaboradores devem ter em mente um roteiro da negociação.

Para isso, combine qual será o conteúdo e o formato de um telefonema ou de uma reunião, discuta anteriormente os argumentos que devem ser usados na hora da negociação. Assegurar-se de que todas as etapas de venda terão o mesmo padrão ajuda a aumentar a produtividade do time comercial.
 

8. Monitore o desempenho dos colaboradores

Não há como aumentar a produtividade do time comercial se você não estiver monitorando o desempenho da sua equipe. Acompanhar os resultados é crucial para avaliar se as suas estratégias em vendas estão funcionando.

Um monitoramento efetivo pressupõe a utilização de métricas adequadas para controlar a produtividade dos vendedores individualmente e como equipe. Somente deste modo você conseguirá identificar erros e acertos.
 

Torne a produtividade uma de suas metas de gestão de vendas!

Conquistar uma maior produtividade exige bastante trabalho, mas não se trata de uma tarefa impossível. Como você otimiza sua gestão de vendas? Conta pra gente, e até a próxima.

como-fazer-uma-boa-avaliacao-de-carro-na-hora-da-negociacao-1554505135

Como fazer uma boa avaliação de carro na hora da negociação

No momento de trocar/vender um veículo, é muito importante conhecer os critérios usados na avaliação. Com base nessas informações, se torna possível compreender as variações no preço e fazer bons negócios.

Por que carros com características muito semelhantes são vendidos por preços tão diferentes?

Em uma primeira análise parece não fazer sentido, mas em uma avaliação mais aprofundada é possível entender claramente as razões que levam a essa variação. A compreensão sobre os critérios usados na avaliação de um carro é importante não só para quem vai vender, como também para que seu cliente encontre o veículo ideal para suprir as suas necessidades. Isso vai evitar maus negócios para ambos. Afinal, um carro com valor muito abaixo dos demais, certamente tem uma ótima razão para justificar a diferença.
 

Quais os critérios considerados na avaliação de um carro?

Apesar de existir a tabela FIPE como referência, os valores praticados sofrem a interferência de outros fatores. Por isso, a seguir, saiba como se faz a avaliação do carro na hora da negociação e fique atento para fazer um bom negócio.
 

Reunimos os principais a seguir:
 

Tabela FIPE

Apesar de ser muito difícil que um carro seja vendido pelo valor exato apresentado na tabela FIPE, os preços indicados nela são um ótimo ponto de partida, e servem como um referencial no momento da avaliação.
 

Quilometragem

Um carro que tem uma baixa quilometragem rodada tende a estar mais conservado, o que é um fator de valorização. Por outro lado, um veículo com alta quilometragem perde parte do seu valor no mercado. Neste momento, é fundamental ficar de olho nos casos de quilometragem adulterada.
 

Estado de conservação

A lógica neste ponto é muito clara: um carro bem cuidado e em ótimas condições de uso é valorizado no momento da avaliação. Por outro lado, um outro que apresenta defeitos não desperta o interesse de muitos compradores, perdendo valor no mercado.
 

No momento de avaliar o estado de conservação de um carro, são vários os aspectos analisados:

Pintura: 
o estado e a cor da pintura também pode ter um impacto nesse momento.

Motor: mesmo que um carro esteja em perfeito estado externamente, é preciso considerar a conservação dos seus componentes internos, com destaque para o motor.

Bancos: bancos sujos e mal conservados pesam negativamente na avaliação do veículo. Mais do que isso, também servem como indicativo de que o dono não tem muito cuidado com o carro.

Pneus: um veículo que está com os pneus desgastados indica que vai ser necessário fazer a troca desses componentes em pouco tempo, diminuindo o valor avaliado do carro.

Revisões: verificar se o carro passou por todas as revisões é uma ótima forma de garantir um bom estado de conservação. Quando isso não acontece, o valor de mercado pode cair.

Documentação

Qualquer irregularidade na documentação do carro pode baixar drasticamente o seu preço. Além disso, é fundamental consultar a existência de multas pendentes, financiamentos em aberto e a existência do manual do carro.

Enquanto todos os aspectos estruturais do veículo acabam sendo corrigidos em poucas semanas, a regulamentação dos documentos pode levar meses. Por essa razão, problemas na documentação geram uma grande desvalorização.

Uma boa avaliação de um carro faz toda a diferença para que ninguém fique no prejuízo.

Agora que você aprendeu sobre a avaliação dos veículos, não perca tempo e bons negócios!

Até a próxima.