Quero vender meu carro. Como eu faço?

Chegou a hora de vender o seu carro usado? Fica tranquilo que iremos te ajudar a fazer tudo com muita segurança e tranquilidade. Esse processo não precisa ser desgastante e cansativo para ninguém!

Agora, é importante que você esteja familiarizado com o seu carro. Quilometragem, revisões, sinistros, tudo isso e mais um pouco é importante saber para que você possa vendê-lo sem ter prejuízos.

Além disso, conhecer o mercado de seminovos, saber qual o melhor momento para negociar e mais alguns outros detalhes são peças fundamentais para você sair ganhando.

Então, vamos aprender sobre como vender o seu carro para que você consiga colocar dinheiro no bolso o quanto antes?

Dicas importantes para vender o seu carro

Se você acha que vender um carro é simplesmente colocar ele em uma revenda ou anunciar em um portal, está enganado. O processo começa bem antes de colocar ele realmente à venda.

Por isso, separamos algumas dicas que vão te ajudar de uma vez por todas a tirar o melhor ganho com o seu veículo.

  1. Faça pequenos reparos

É de extrema importância que você cuide dos detalhes do seu carro. Acredite, na hora do comprador olhar o teu carro, ele vai procurar os defeitos e não as qualidades. Tudo o que você puder evitar que ele questione, melhor.

Remova os arranhões e imperfeições na pintura, faça a lavagem no motor, leve o carro para lavar internamente e externamente, faça um polimento, troque as calotas (caso o seu carro possua) e substitua os tapetes por novos. Mas vale aqui uma observação: faça os reparos em um local muito bom, você não quer que a solução vire um novo problema, certo?!

Esses pequenos ajustes podem fazer com que o seu futuro comprador só veja coisas boas e se encante ainda mais pelo seu veículo, o que vai facilitar e muito a venda.

  1. Pesquise a Tabela FIPE

Sim, pesquise a tabela FIPE. Muita gente pode achar isso meio óbvio, mas o valor do seu veículo não é dado conforme a sua vontade. Quer dizer, até pode ser, mas isso não garante que ele será vendido.

A tabela FIPE é utilizada como uma referência base pelos lojistas, revendas e vendedores na hora de determinar qual o preço do seu carro usado.

E a realidade é que, muitas pessoas vendem os seus veículos por valores de 10% até 20% abaixo da tabela. Não que a prática seja recomendada, mas é importante verificar o preço que as demais pessoas estão colocando nos veículos com as mesmas características que o seu.

  1. Analise o mercado

Engana-se quem acredita que se vende qualquer carro o tempo inteiro. Não são todos os carros que se vendem com facilidade. É importante entender se o seu carro possui demanda no momento.

Mas, se você possui carros sedans mais familiares, eles estão sendo procurados para o transporte do dia-a-dia da família com muita frequência, o que faz com que a venda seja mais rápida.

Além deles, carros que possuem boa economia de combustível também são ótimas pedidas sempre, principalmente se o preço da gasolina estiver mais elevado. O fator economia na gasolina é muito importante para diversos compradores.

  1. Crie ótimos anúncios

Se você for vender o seu carro em portais na internet, crie um anúncio incrível, que os possíveis compradores se encantem. É muito importante que você coloque fotos que valorizam o veículo e seja o mais completo possível na descrição.

Entenda que anúncios com poucas informações e fotos ruins geram pouco interesse e, consequentemente, a venda será mais demorada.

Como fazer boas fotos para vender o seu carro

Todo mundo diz que não se deve julgar o livro pela capa, mas que fique claro: se a capa é bonita, compramos mais fácil. Por isso, as fotos do seu veículo devem ser impecáveis.

Vale lembrar que algumas estatísticas dizem que o ideal é termos entre quatro a sete fotos no nosso anúncio. Escolha bem quais serão utilizadas!

Agora, se você preferir vender o seu carro através de uma revenda, normalmente eles já sabem exatamente quais as melhores maneiras de potencializar a venda através das fotos. Confie neles!

E é óbvio que listamos algumas coisas que você deve cuidar na hora de fotografar o seu antigo carro (sim, antigo. Depois dessas dicas é impossível que você não venda) para vender com mais agilidade e por um preço vantajoso:

  1. Melhore a aparência do seu carro

Já falamos em uma das primeiras dicas aqui da postagem. É necessário cuidar dos detalhes, levar o carro pra lavar, polir, passar um pretinho nas rodas, tudo o que for necessário para deixar o veículo com cara de novo. E esse cuidado deve ser tanto por fora quanto por dentro.

  1. Escolha o melhor cenário para a foto

Os vendedores possuem uma mania feia de tirar as fotos em qualquer lugar. Acredite, essa não é a melhor forma.

Pense em um local que não é escuro e nem que esteja sob sol forte para as fotos externas do veículo. Ambas as situações vão deixar suas fotos feias. Devemos sempre buscar então o equilíbrio, como por exemplo em uma garagem ou estacionamento em céu aberto (como de shoppings).

Já as fotos internas do veículo, recomendamos que você tenha uma luz um pouco mais forte para mostrar bem os detalhes do carro. Inclusive, muitas pessoas acabam comprando o carro pelo seu interior do que pelo exterior, então, capriche no cenário e iluminação!

  1. Os ângulos obrigatórios do veículo

É essencial que as fotos tenham o perfil dianteiro e traseiro, além da frente e da traseira do veículo, quando falamos da parte externa.

Já no interior, a foto deve pegar muito bem os bancos, painel e console. Uma dica para tirar uma foto legal do painel é apoiar a câmera ou celular no encosto do banco, assim você evita de tirar uma imagem tremida.

Outro local que muita gente esquece de tirar foto e os compradores adoram ver é o motor. Então já sabe, faça essa fotografia e crie um diferencial no seu anúncio!

E é claro, não podemos deixar de mencionar que uma foto também importante é a do porta-malas, ainda mais se o seu carro for sedan ou SUV e um grande diferencial seja justamente o armazenamento.

Documentos para a venda

Para que a transferência do veículo seja feita conforme mandam os órgãos competentes, é necessário que seja apresentada toda documentação dos envolvidos no negócio.

São diversos documentos que devem ser apresentados. Por isso, separamos todos os indispensáveis e como eles se dividem:

  1. Documentos do vendedor

Para que a transação seja legítima, é necessário que quem faz a venda prove que o veículo é seu. Isso evita fraudes e até mesmo a comercialização de veículos roubados, o que gera transtornos para quem está comprando.

Os principais documentos necessários por parte do vendedor são:

  • CPF e/ou RG da pessoa física.
  • Certidão de nascimento ou de casamento.
  • Certidão negativa de alienação de bens ou de tutela, que comprovam a permissão para realizar a etapa.
  • Certidão de Propriedade dos Veículos.
  • Certificado de Registro de Veículo (CRV) ou Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) antigo e com o nome do comprador.
  1. Documentos do comprador

Agora, quem compra precisa demonstrar interesse na transação, além de comprovação financeira que informe a conclusão da operação. Caso aconteça algum problema, é necessário também que os órgãos competentes consigam contatar o comprador, por isso, os documentos necessário são:

  • RG e CPF ou CNPJ, no caso de pessoas jurídicas.
  • contrato social ou Ato Constitutivo, no caso de pessoas jurídicas.
  • comprovante de endereço ou endereço comercial.
  • comprovante de pagamento após a conclusão da compra.
  1. Documentos do veículo

E é óbvio que o veículo não poderia ficar de fora. Os documentos veiculares trazem segurança e permitem a comunicação obrigatória da venda e da transferência de posse ao Detran. E aqui a divisão é feita em antes e depois da compra.

O que é exigido antes da compra:

  • CRV completamente preenchido e com firma reconhecida.
  • uma cópia do CRLV e o original.
  • comprovantes de quitação de valores de multa, licenciamento e IPVA.
  • contrato assinado por ambas as partes.
  • formulário do RENAVAM.
  • dois decalques do chassi do veículo.

O que é exigido depois da compra:

  • O vendedor precisa comunicar a venda ao Detran pelo CRV preenchido, de modo a se eximir de possíveis responsabilidades.
  • Já o comprador deve seguir para o órgão para realizar uma nova vistoria e receber o CRLV definitivo.

Alguns cuidados necessários

Muitas pessoas acabam sofrendo golpes nas vendas dos veículos quando desejam fazer por conta própria, então é bom reforçar que você só deve entregar o seu carro para o comprador depois que confirmar o dinheiro na sua conta bancária. O ideal é que a transferência do valor seja feito via TED, pois o dinheiro vai estar disponível depois de alguns minutos na sua conta.

A entrega do veículo é recomendada que seja feita em um local público, conforme combinado entre as partes.

Acompanhe toda a transferência da documentação, existem muitos espertinhos por aí! Então vá até o cartório com o comprador e não esqueça de comunicar o Detran da sua cidade que você realmente vendeu o veículo. Caso não faça isso, a pessoa pode mandar umas multas e dívidas para o seu nome e você não quer se deparar com essas surpresas, não é mesmo?!

E é claro, após a conclusão do negócio, não se esqueça de cancelar ou transferir o seu seguro auto, caso possua um (recomendamos muito que sim). A venda do automóvel não cancela o seguro automaticamente.

Quais as melhores formas para vender o meu veículo?

Existem algumas formas de vender o seu veículo, mas nós recomendamos duas, que normalmente são as mais eficientes:

  1. Vender por conta

Você pode optar por encarar o desafio e anunciar por conta o seu veículo através das redes sociais e portais especializados, como ICarros, MeuCarroNovo e WebMotors.

O ponto positivo aqui é que você terá uma lucratividade muito maior se fizer assim, mas o negativo é que será um processo bem burocrático e desgastante. Sem contar todo o risco, se for a primeira vez que você faz essa transação.

  1. Vender através de uma revenda

Com certeza na sua cidade tem uma revenda de veículos usados. E nós recomendamos fortemente que você prefira fazer negócio com eles. Afinal, eles são especializados nisso!

Os pontos positivos aqui é que você não irá correr riscos na transação, não terá nenhum trabalho para vender, sem contar em toda assessoria que as revendas podem te dar na precificação ideal, melhorias a serem feitas no veículo e tudo mais. Ou se der sorte, eles podem comprar o veículo diretamente de você para venderem e você já sai de lá com o dinheiro na conta.

Agora, é óbvio que tudo isso tem um preço e você dará uma porcentagem para a revenda, mas acredite: vale o investimento.